Templo de Salomão

Igreja universal, sede mundial igreja mundial, nova sede igreja, universal, salomão, templo salomão

A sede mundial da Igreja Universal terá 12 andares, 2 subsolos e capacidade para 10 mil pessoas sentadas.

Ocupará uma área de 23.194 metros quadrados e está orçada em R$ 200 milhões. Será uma réplica exata do Templo de Salomão e para erguê-la já foram comprados 24 imóveis na Celso Garcia, na João Boemer e na Júlio César da Silva.

O novo Templo de Salomão terá 126 metros de comprimento e 104 metros de largura e vai “superar o maior templo da Igreja Católica” de São Paulo, a Catedral da Sé. Entretanto, as torres da Sé chegam a 93 metros de altura, com 111 metros de comprimento e 46 metros de largura .

O arquiteto responsável, Rogério Silva de Araújo, disse que o novo empreendimento “é arrojado” e empregará “tecnologia de ponta para que, quando as pessoas entrem no local, viajem pelo tempo e sintam-se como se estivessem no primeiro templo construído por Salomão”.

 

O complexo contará com 36 escolas bíblicas com capacidade para 1,3 mil crianças, lojas, estúdios de rádios e televisão, um auditório para 500 pessoas, além de um amplo estacionamento para mais de 1,5 mil veículos. Segundo o projeto, serão utilizados materiais reciclados e regionais de alta tecnologia para proporcionar o uso racional de energia elétrica, além da reutilização de água.

Está previsto um memorial na área externa, com 250 metros quadrados. Esse local deverá ser usado como espaço para exposições e eventos. “Começando pela fachada, passando pelo átrio e chegando internamente na nave, criamos uma visão de maneira a remeter as pessoas ao passado. Para tanto, estamos valendo de toda tecnologia de ponta associada ao bom senso na arquitetura de maneira a não criar este choque de épocas”, comentou o arquiteto.

Ainda dentro da Igreja, uma arca representando a Arca da Aliança será colocada sobre o altar com o objetivo de proporcionar um efeito tridimensional, que, quando aberta, poderá ser observada totalmente em seu interior e também refletirá no batistério, criando a sensação, durante o batismo, de que a pessoa estará se batizando dentro da Arca.

Na face frontal do altar serão aplicadas doze pedras representando as doze tribos de Israel, e todo o altar será ladeado por duas colunas diferenciadas chamadas Joaquim e Boaz, nomes também citados na Bíblia.

De acordo com o bispo Edir Macedo, o local não será de ouro, mas as riquezas de detalhes empregados em cada parte do templo serão muito parecidas com os do antigo santuário. “Nós encomendamos o mesmo modelo de pedras de Jerusalém que foram usadas por Salomão, pois vamos revestir as paredes do templo com elas. Nós queremos que as pessoas tenham um lugar bonito par buscar a Deus e também a oportunidade de tocar nessas pedras e fazer orações nelas.”, comentou o bispo durante reunião realizada em São Paulo. Ele acredita que a visitação ao Templo não se limitará somente aos fieis da IURD, mas se tornará um ponto turístico e cultural, que atrairá pessoas do mundo todo.
Para o presidente da Juventude Judaica Organizada, Persio Bider, a iniciativa poderá promover um melhor entendimento ao povo brasileiro não judaico a respeito de Israel e dos judeus, eliminando preconceitos e o antissemitismo, ainda presente na sociedade. “Somente por meio do conhecimento mútuo poderemos erradicar qualquer tipo de preconceito ou discriminação por parte de ambos e, assim, trabalharmos juntos no que temos de semelhanças e nos respeitarmos no que pensamos e acreditamos de diferente. Temos muito em comum e precisamos nos unir para que seja possível trabalharmos ativamente em uma sociedade mais justa, positiva e focada em uma coexistência e inter-religiosidade plena, razão pela qual acredito ser muito interessante a iniciativa do bispo Macedo, que entendo amar muito a Terra de Israel e o povo judeu”, afirma Bider.
Hoje a obra já está com 33 % completa e continua sendo construída com ajuda de fieis, ajuda de terceiros e inclusive com a ajuda de membros de outras denominações.
A previsão de conclusão da obra é para 2014.
Entenda um pouco da história:
A Bíblia explica que o rei Davi, durante o seu reinado, decidiu construir um templo para a habitação de Deus, pois não aceitava o fato de ele, um mortal, morar em um palácio rodeado por riqueza e conforto enquanto a arca do Senhor ficava em tendas e tabernáculos. Porém, o Senhor, por meio do profeta Natã, o advertiu dizendo que a construção não deveria ser feita por ele, mas por seu sucessor, o Rei Salomão. Davi, antes de deixar o trono para seu filho, ajuntou as reservas do reino – 100 mil talentos de ouro e 1 milhão de talentos de prata mais o seu tesouro particular, 3 mil talentos de ouro e 7 mil talentos de prata refinada – e  ofereceu para a construção da casa do Senhor. Sendo que um talento de ouro equivale a 36 quilos de ouro e um talento de prata equivale a 36 quilos de prata. Portanto, o rei Davi doou um total de 360 mil quilos de ouro e prata, que correspondem a um valor superior a 10 bilhões de reais.
Após 7 anos de obras, o templo foi erguido pelo rei Salomão, e usado por anos pelo povo como lugar de culto e de entrega de sacrifícios ao Senhor.
Mesmo sendo tão glorioso e imponente, no ano 587 antes de Cristo, os babilônios tomaram Jerusalém e reduziram a cinzas o grande Templo. Décadas depois, foi feita a reconstrução no mesmo local do Segundo Templo, o qual também foi destruído. Hoje, a única parte erguida que restou da construção é o Muro das Lamentações, considerado por milhares de judeus e cristãos de todo o mundo como sagrado.
Para os judeus, ainda há esperança de que o Terceiro Templo seja construído, para que o Messias reine com eles. Porém, para que isso aconteça, eles terão que contar com alguma catástrofe natural ou mudanças governamentais que retirem do local a Mesquita de Omar, construção feita pelos seguidores do Islamismo.
E você, qual é sua opinião a respeito da construção do Templo ?
Você é a favor dos dízimos e ofertas ?

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*