Passos essenciais para registrar uma marca sem a contratação de um profissional

Passo a passo para registrar uma marca

É comum que, para registrar uma marca, muitas pessoas acabem desembolsando quantidade significativa de dinheiro ao contratar um profissional para intermediar e facilitar o processo. No entanto, é possível fazer isso sem a necessidade de contratação intermediária para registrar a marca no INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial). Confira ao longo do artigo o que é necessário para registrar a sua marca sem ter de gastar com a contratação de um profissional.
Antes de fazer qualquer coisa, é essencial consultar na área de “marcas” do portal do INPI se já existe uma marca com o mesmo nome atuando no setor que você deseja registrar. Caso você encontre a marca e, ainda, considere que a outra empresa que registrou não é a dona da patente, você pode entrar com um processo administrativo pedindo a anulação da marca pela empresa, ou entrar com um pedido de oposição.
No caso de fazer a busca e não encontrar nenhuma empresa que tenha registrado a mesma marca atuante no mesmo setor que você, faça o cadastro através do site do INPI. Ao criar o login e a senha, você conseguirá gerar o Guia de Recolhimento da União (GRU), que informe sobre o valor que corresponde aos serviços de registro de marca. Feito isso, você terá de pagar a Guia. Quando o pagamento é identificado, poucos dias depois, você deve fazer o login no sistema “e-Marcas”. Preencha o cadastro com todos os dados pedidos e envie-o.
Após esses procedimentos, você deve ficar atento e acompanhar a publicação do seu requerimento através da Revista da Propriedade Industrial (RPI), que é publicada nas terças-feiras. No portal do INPI, ainda, é recomendável que você cadastre o seu processo no sistema “Push”, pois, assim, receberá um aviso via e-mail toda vez que houver alguma movimentação referente ao pedido de registro de marca.
Antes de solicitar o processo, é importante que você analise, também, se a sua marca vale mais do que o valor para protegê-la. Caso ela possua um valor menor, na maioria das vezes não vale a pena o registro. Nos casos em que a marca está crescendo, por sua vez, é importante registrá-la o quanto antes, pois vale quem registra primeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*