Juros de cheque especial cobrado por cada banco

Quanto é cobrado pelo cheque especial

Veja quais são as taxas para quem usa o cheque especial. É válido lembrar que essa é a porcentagem média aproximada, podendo sofrer alterações com o tempo ou variar de uma conta bancária para outra.

Equilibrar as finanças e controlar nem sempre são tarefas fáceis. Por isso, muitas pessoas precisam recorrer ao chamado cheque especial ou acabam deixando a conta ficar no limite. Nesse caso, se o cliente segue realizando pagamentos ou saques, ele também entra automaticamente no cheque especial. O problema de depender do recurso é que os correntistas ficam então sujeitos às altas de taxas de juros cobradas pelos bancos para esse tipo de empréstimo. Com isso, o valor da dívida cresce e fica ainda mais difícil quitá-la, já que além do valor referente os gasto, soma-se a porcentagem dos juros por mês.

Entenda como os bancos calculam o valor dos juros

Primeiramente, é importante ressaltar que as taxas determinadas pelas instituições financeiras variam de acordo com o tempo e valor de uso do cheque especial. Portanto, quanto mais longo for o período que a conta permanecer no negativo e quanto mais dinheiro for retirado nesse empréstimo, maiores serão os juros. Em razão disso, o conselho dos economistas é que, no caso do uso do cheque especial ser mesmo inevitável, o ideal é que a situação seja solucionada o mais breve possível.

Considerando-se então a regra geral aplicada pelos bancos para calcular a dívida, cada empresa financeira tem uma porcentagem própria e normas um pouco distintas. Por isso, deve-se sempre conferir antes como funciona essa conta nas principais instituições financeiras do país na hora de pegar esse empréstimo. Por exemplo, alguns bancos não cobram a taxa por até 10 dias de uso do cheque especial. No entanto, a partir do décimo primeiro dia de transações com a conta no negativo, os juros já serão cobrados em cima dos 11 dias de utilização. Em média, o percentual de juros para o cheque especial nas maiores empresas fica entre 9% e 13% ao mês, segundo levantamento de junho de 2015. Veja abaixo alguns referenciais:

Bradesco S.A. 9,31% A.m.
Caixa Econômica Federal 9,48 % A.m.
Banco do Brasil S.A. 9,85 % A.m.
Itaú Unibanco Bm S.A. 10,30 % A.m.
HSBC Bank Brasil S.A. 13,32 % A.m
Santander S.A. 13,60 % A.m.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*